27 de mai de 2017

EDITORIAL COM MARIO SAMPAIO


BRASIL – PÁTRIA DAS PROPINAS – 21.05.17 (Mário Sampaio)
A crise que se instalou no Brasil, escandalizando e indignando a toda Nação, com revelações bombásticas via imprensa na noite da última quarta-feira (17.05.2017), expondo detalhes da delação premiada de sócios e executivos da JBS frigorífico, vem gerando uma verdadeira instabilidade político-econômica, de proporções sem precedência.
Os delatores declararam à Procuradoria Geral da República que, em gravação feita, o presidente Michel Temer aprovou integralmente o pagamento de propina por eles, para ficarem em silêncio, Eduardo Cunha (ex-presidente da Câmara Federal) e Lúcio Funaro, ambos acusados e presos na Operação Lava-Jato da Polícia Federal. Ademais, confessaram que, o senador Aécio Neves pediu 2 milhões, para custear sua defesa jurídica e, que foram entregues em 4 parcelas.
A operação Lava-Jato, assemelha-se à operação “Mãos Limpas” realizada na Itália na década de 1990, que investigou 872 empresários, 438 parlamentares e 4 primeiros-ministros; que ao final, mostrou resultado catastrófico para aquele país, sofrendo os seus efeitos até hoje. Na Lava-Jato, é preciso prudência com suas consequências futuras, para não incorrer nos mesmos erros dos italianos. Urge-se, pois, que o Brasil progrida de forma enérgica e objetiva, com a implementação de mecanismos importantes, como: o voto consciente nas próximas eleições, instrumentos de fiscalização e controle transparentemente confiáveis e, por fim, um sistema eleitoral que reflita uma fiel representatividade político-partidária, sem financiamento exagerado das respectivas campanhas eleitorais.
Saliente-se, todavia, que mediante a gravidade dos fatos recentes, que apontam a prática criminosa, com a devida entrega monitorada da prova cabal, atestam a ingovernabilidade do presidente Michel Temer e, a derrocada carreira política do hoje afastado senador Aécio Neves (PSDB-MG). Hoje, movimentos populares, partidários, CNBB (Confederação Nacional dos Bispos do Brasil) e mídia de um modo geral, reivindicam abertamente a investigação dos fatos, renúncia de Temer e, concomitantemente, a realização de novas eleições diretas ou indiretas.
E, neste cenário de incertezas, requer dos denunciados, imediatamente, esclarecimentos convincentes e, seus desdobramentos em relação à manutenção ou não do atual governo federal, serão decisivos para oxigenar ou asfixiar de vez, a tímida recuperação da economia brasileira. É esperar para ver o que acontece. Salve, salve o Brasil – pátria das propinas!
(Acompanhe as publicações do  SENADOR SÁ ONLINE no Facebook. Curta  AQUI )
Postar um comentário