17 de nov de 2016

Maia Determina Prisão De Manifestantes Que Invadiram Câmara

SENADOR SÁ ONLINE
O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), disse ter determinado a prisão dos manifestantes que invadiram o plenário da Casa e ocuparam a Mesa da presidência. O deputado disse que este era o único caminho a ser tomado em relação aos “baderneiros irresponsáveis e bandalheiros”.
O primeiro secretário da Câmara, Beto Mansur (PRB-SP), no entanto, negou que os manifestantes que não apresentaram resistência serão presos. Disse que serão indiciados por crimes como invasão e depredação de patrimônio público. As informações são da Folha de S. Paulo.

“A partir do momento que pessoas resolveram invadir o parlamento, resolveram quebrar dependências do parlamento, entrar no plenário sem autorização, subir na Mesa do presidente da Câmara, a ordem que dei ao diretor do Depol [departamento de polícia] é que todos saiam daqui presos e que sejam levados para a Polícia Federal”, afirmou Maia.

“Não vamos aceitar este tipo de abuso, de agressão ao parlamento brasileiro. Não haverá negociação. Negociação a gente faz antes de baderneiros quebrarem o plenário da Câmara dos Deputados. A partir deste momento, não há o que negociar. Há que cumprir a lei e a lei vai ser cumprida. A Polícia da Câmara vai prender todos e vai levar todos para Polícia Federa”, disse o presidente da Câmara.
Cerca de 50 manifestantes invadiram o plenário pouco depois das 15h30. Eles entraram em bando pela chapelaria, entrada principal do Congresso, subiram a escadaria e quebraram a porta de vidro que dá acesso ao plenário.
“Só há um caminho a ser tomado, que é a prisão. Não tem o que conversar com quem já quebrou o patrimônio público”, afirmou Maia.
Até o início da noite, ainda havia manifestantes que se recusavam a deixar o local de votações, embora muitos já tivessem deixado o local acompanhados por deputados ou levados por policiais legislativos.
Rodrigo Maia disse que, assim que o plenário for evacuado, conduzirá sessão.
O presidente da Câmara disse ter sido informado da possibilidade de haver manifestantes armados, mas negou falha na segurança.
“Não é falha da segurança. é que o parlamento brasileiro, diferente dos outros, é muito aberto, todo mundo pode entrar. Na hora que a gente amplia a revista, ampliem o sistema de controle, dizem que estamos sendo autoritários”, disse o presidente da Casa.
Ele não informou se a segurança da Câmara será reforçada. “Não estou preocupado com amanhã, estou preocupado com o dia de hoje e hoje estão todos presos”, afirmou.
   (Acompanhe as publicações do  SENADOR SÁ ONLINE no Facebook. Curta  AQUI )
Postar um comentário