26 de abr de 2015

Carro Seguro e Economia Na Estrada! Brasileiro Chama Atenção Do Mercado Ao Criar Carro Movido a Água

carro-hidroHoje o Seguro automotivo, Manutenção do veículo,Impostos anuais entre outros custos, deixaram de ser a maior preocupação do proprietário de veículo no Brasil.
O valor da gasolina que a cada aumentando a cada dia, tem gerado transtornos a muitos brasileiros, está sendo necessário uma remodelagem na rotina das pessoas que dependem de veículos para uso diário. Carona coletiva, Carona solidária, abrir mão do conforto e utilizar transporte público, foram algumas soluções improvisadas pela população na busca de contornar o problema.
No entanto Roberto de Souza foi além, Roberto que é morador de Vitória – ES, ganhou destaque nas redes sociais e até mesmo na imprensa, após divulgar sua invenção revolucionária no setor automotivo, o carro movido a água.
Logo após a veiculação da reportagem do jornal Tribuna Notícia, Roberto recebeu mais de 1 milhão e meio de e-mails em sua caixa de entrada. Montadoras, investidores, cientistas de universidades federais, curiosos e até mesmo futuros clientes lotaram o a conta de e-mail do inventor.
No momento da entrevista estiveram presente alguns estudantes de Engenharia interessados em conhecer o projeto, e ficaram impactados com a tecnologia, pela simplicidade e por ser possível de implanta-la em qualquer veículo. “Eu achei superinteressante, ele pegou uma tecnologia que é estudada a muitos anos, por muitas empresas multinacionais e fez parecer muito simples todo o processo.” afirmou o estudante de engenharia Matheus Jordaim. “Olhando assim parece muito simples, mas é uma tecnologia que pode revolucionar” Acrescentou.
A adaptação do projeto não provoca nenhuma alteração no sistema original do veículo e com menos de 1 litro de água Roberto percorreu sem qualquer problema aproximadamente 2mil KM.
Confira no vídeo abaixo a matéria completa e o veículo funcionando com o novo combustível.

Bispo Edir Macedo é Entrevistado Por Roberto Cabrini No "Conexão Repórter Especial"

PORTAL DE NOTÍCIAS DE SENADOR SÁ

Silvio Santos interferiu pessoalmente para a realização da entrevista

O Bispo Edir Macedo relata sua trajetória de vida numa longa entrevista ao jornalista Roberto Cabrini no programa "Conexão Repórter", do SBT, neste domingo (26), a partir das 22h30.


A realização da entrevista contou com o empenho pessoal do próprio dono da emissora, Silvio Santos, em uma negociação que durou 8 meses.



O apresentador abriu mão de 1 hora e meia de seu programa dominical para a exibição do "Conexão Repórter" com o Bispo Macedo, que raramente aparece em conversas com a imprensa brasileira. Também é raro o dono do SBT ceder espaço de seu próprio programa de auditório para outras atrações.



A reportagem reconta a história de sucesso do surgimento da Igreja Universal em uma praça pública do Rio de Janeiro à abertura do Templo de Salomão, em São Paulo, mostra a origem humilde e os laços familiares do Bispo Macedo e toca em questões polêmicas como a prisão e sua relação com o mundo político.

Entrevista marcante

PORTAL DE NOTÍCIAS DE SENADOR SÁ
Em mais de 1 hora e meia de entrevistas, gravadas no espaço de 15 dias, o programa do SBT revela os pensamentos que fundamentam a fé e os princípios do bispo Macedo à frente de uma das maiores igrejas evangélicas do mundo.


Roberto Cabrini conta que foi umas das entrevistas mais marcantes de sua carreira. "A autenticidade e transparência de Edir Macedo, o tempo inteiro disposto a responder sobre tudo abertamente, me chamou atenção", afirma o jornalista, que visitou as cidades onde o Bispo Macedo nasceu e viveu e os locais símbolos do início de sua pregação, hoje espalhada para mais de 100 países.

As entrevistas de Cabrini com o Bispo Edir Macedo aconteceram nos escritórios do Templo de Salomão.

Explosão Vulcânica Assusta No Chile. Seria Um Sinal?

Um dos vulcões mais perigosos do país entra em erupção, alarmando a população

A foto ao lado impressiona. E faz sentido: são os efeitos da erupção do vulcão Calbuco, no sul do Chile, iniciada na tarde de quarta-feira (22) e que alarma todo o país e provocou a evacuação dos moradores em um raio de 20 quilômetros da montanha. O governo chileno decretou estado de exceção (controle absoluto das Forças Armadas para tomadas de decisão mais rápidas, diminuindo a burocracia) na região.

A erupção atingiu um nível entre 4 e 5 numa escala que vai até 8. A gigantesca coluna de fumaça ergueu-se até a estratosfera, produzindo até mesmo raios e trovões por causa da reação das partículas elétricas produzidas pelo material das cinzas com as da atmosfera – um fenômeno que só ocorre nas erupções mais intensas.
Primeiro, apesar do susto, os moradores das cidades próximas assistiam ao fenômeno com curiosidade. Mas a potência da erupção começou a gerar alarme. Os engarrafamentos agora são grandes nas saídas das cidades próximas e nos estabelecimentos comerciais que ainda estão abertos, já há falta de alimentos e água. Foi decretado toque de recolher durante a noite.
Com 2 mil metros de altura, o Calbuco estava inativo havia 43 anos. Dos cerca de 90 vulcões do Chile, ele é um dos mais perigosos – o que também inclui o Vilarrica, que entrou em erupção em março e preocupou a população.  Até a vizinha Argentina cancelou chegada e saída de voos nacionais e internacionais em alguns de seus mais importantes aeroportos.
Apocalipse
Os tremores de terra são comuns em áreas com muita atividade vulcânica, pois o solo é instável em relação a outras regiões. A Bíblia fala  sobre terremotos, inclusive em Apocalipse. Além disso, a abundância de fumaça e cinzas expelidos por vulcões na atmosfera pode bloquear a luz do sol, causando trevas, também descritas no último livro bíblico:
“Ela abriu o poço do abismo, e subiu fumaça do poço como fumaça de grande fornalha, e, com a fumaceira saída do poço, escureceu-se o sol e o ar.” Apocalipse 9.2
Como se não bastasse isso, outros sinais apocalípticos, como as crescentes guerras, oesfriamento do amor pelo próximo, a fome e outros distúrbios naturais e sociais, estão cada vez mais frequentes e abundantes.
Você está preparado para o Fim dos Tempos? Tem certeza da sua Salvação? Ou não entendeu ainda que os sinais são fortes e o Apocalipse já está acontecendo?

INDONÉSIA TRAFICANTE BRASILEIRO É LEVADO PARA LOCAL DE EXECUÇÃO

ITAMARATY AINDA NÃO FOI COMUNICADO SOBRE A DATA DA EXECUÇÃO

PORTAL DE NOTÍCIAS DE SENADOR SÁ
ITAMARATY AINDA NÃO RECEBEU COMUNICAÇÃO OFICIAL SOBRE A DATA DA EXECUÇÃO
Os oito estrangeiros e um indonésio condenados à morte por tráfico de drogas na Indonésia, entre eles o brasileiro Rodrigo Gularte, já foram levados para a prisão de segurança máxima de Nusakambangan, em Cilacap, a cerca de 400 quilômetros de Jacarta, capital do país, onde ocorrerá o fuzilamento. Na última quinta-feira (23), o governo do país asiático notificou os países de origem dos presos sobre a proximidade do cumprimento da pena, que deve ocorrer nos próximos três dias.
Além do brasileiro, na fila de execução há cidadãos da Austrália, Filipinas, Nigéria e de Gana. O Ministério das Relações Exteriores brasileiro ainda não recebeu comunicação oficial sobre a data da execução de Rodrigo Gularte, preso desde julho de 2004, quando entrou na Indonésia com seis quilos de cocaína escondidos em pranchas de surfe.
“Hoje, acabamos de notificar todos os condenados [sobre a execução]”, disse o porta-voz do procurador-geral da Indonésia, Tony Spontana. Apesar de o porta-voz não informar a data das execuções, a defesa da filipina Mary Jane Veloso (uma das condenadas à morte) disse que a sua cliente foi informada que seria executada na próxima terça-feira (28).
Pelas leis indonésias, os presos e seus representantes devem ser comunicados com 72 horas de antecedência da execução. A convocação dos representantes das embaixadas gerou especulação entre quem acompanha o caso e os envolvidos de que, hoje (25), as autoridades do país podem definir a data da execução por fuzilamento.
A defesa do paranaense continua tentando convencer a Justiça da Indonésia de que ele precisa de tratamento psiquiátrico, adiando ao máximo execução. “Sem desconhecer a gravidade dos crimes que levaram à condenação de Rodrigo Gularte e respeitando a soberania e o sistema jurídico indonésios, o governo brasileiro segue realizando gestões sobre o caso, por razões humanitárias e tendo em conta o estado de saúde do cidadão brasileiro”, informou o Itamaraty à Agência Brasil.
O Itamaraty ressaltou os reiterados pedidos feitos, “em caráter urgente”, de internação imediata do brasileiro em hospital local. Além disso, convocou sexta-feira (24) o encarregado de Negócios da Indonésia no Brasil para uma reunião com o embaixador Carlos Alberto Simas Magalhães, subsecretário-geral das Comunidades Brasileiras no Exterior. O gesto serviu para demonstrar, mais uma vez, a preocupação do governo brasileiro com a situação e pedir mais explicações sobre o andamento do caso.
Um dos estrangeiros condenados à morte por tráfico de drogas, o francês Serge Atlaoui, de 51 anos, não foi levado para o local do fuzilamento. Spontana informou que o cumprimento de pena do francês foi adiada porque ainda há um recurso legal pendente de exame. Durante a semana, o governo francês ameaçou retaliar a Indonésia caso o Atlaoui, condenado em 2007, fosse fuzilado.
Em janeiro, a Indonésia executou seis traficantes de drogas, incluindo o brasileiro Marco Archer Cardoso Moreira, o que causou uma crise diplomática entre a Indonésia e o Brasil. O país asiático, que retomou as execuções em 2013 após cinco anos de moratória, tem 133 prisioneiros no corredor da morte, dos quais 57 condenados por tráfico de drogas, dois por terrorismo e 74 por outros crimes.

Empreiteiro Da OAS Fez ‘Favores’ a Lula(PT), Afirma Revista

Reprodução da capa da revista Veja na edição de 29 de abril de 2015
Reprodução da capa da revista Veja na edição de 29 de abril de 2015
Reportagem da revista Veja deste fim de semana afirma que o engenheiro Léo Pinheiro, ex-presidente da construtora OAS, tem cogitado fazer delação premiada na Operação Lava Jato e pode implicar o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, de quem seria amigo pessoal.
Segundo a revista, Pinheiro, de 63 anos, que está preso desde novembro, tem passado os dias na cadeia montando a estrutura do que poderia ser seu depoimento no acordo para tentar livrá-lo da carceragem.
Sítio
A publicação aponta três fatos que poderiam fazer parte da eventual delação de Pinheiro. O primeiro seria um pedido de Lula feito em 2010 para que o ex-presidente da OAS providenciasse a reforma do sítio Santa Barbara, em Atibaia (SP). A reportagem sustenta que o sítio é identificado por políticos e amigos como sendo do ex-presidente, embora no cartório da cidade esteja registrada oficialmente por R$ 1,5 milhão em nome de Jonas Suassuna e Fernando Bittar, ambos sócios de Fábio Luís da Silva, o Lulinha, filho do ex-presidente.
Favor “imobiliário”
Léo Pinheiro, segundo Veja, fez um segundo “favor” a Lula no ramo imobiliário. O empreiteiro conta que, a pedido do ex-presidente, incorporou prédios inacabados da Cooperativa dos Bancários (Bancoop), uma entidade ligada ao PT. A OAS concluiu no início do ano a construção do Edifício Solaris, da Bancoop, prédio na praia do Guarujá (SP). O ex-tesoureiro do PT João Vaccari Neto, também preso na Lava Jato, e Lula têm apartamentos no empreendimento.
Rosemary
O terceiro ponto seria uma suposta ajuda de Pinheiro a Rosemary Noronha, ex-chefe do escritório da Presidência da República e amiga de Lula. Rosemary deixou o cargo em 2012 após uma investigação da Polícia Federal tê-la identificado como integrante de um grupo que venderia facilidades ao governo. A revista diz que Lula pediu a Pinheiro que ajudasse o marido de Rosemary, João Batista, um pequeno empresário da construção civil. Depois, de acordo com a reportagem, João Batista conseguiu um bom emprego.
Sem garantias
A revista não traz garantia de que Léo Pinheiro vai efetivamente fazer a delação premiada. Em edição de 21 de fevereiro, a publicação informou sobre a possibilidade de delação premiada do engenheiro Ricardo Pessoa, dono da UTC. Dois meses depois, o executivo ainda não fez o depoimento.
Com informações da revista Veja, via Estadão

Manobras Fiscais Praticadas Pelo Governo Reabrem Discussão Sobre Impeachment

PORTAL DE NOTÍCIAS DE SENADOR SÁ
O governo federal usa recursos da Caixa Econômica Federal para o pagamento de benefícios sociais desde o governo Fernando Henrique Cardoso (1995-2002). Segundo entendimento do TCU (Tribunal de Contas da União), o artifício que configura empréstimo da Caixa a seu controlador é vedado pela Lei de Responsabilidade Fiscal. Trata-se uma manobra, conhecida como “pedalada” –um adiamento de despesas do Tesouro Nacional, com ajuda do banco público — que vem sendo acentuada no governo Dilma Roussef.
O TCU encaminhou a decisão ao Ministério Público Federal para que avalie se há crime nessa manobra. O senador Aécio Neves (PSDB-MG) cogita a possibilidade de pedir impeachment de Dilma por causa das “pedaladas”. Em sua defesa, o governo afirma que a prática é antiga.
Os números da Caixa, relativos ao pagamento do seguro-desemprego e do abono salarial, mostram que, de fato, houve casos nos governos anteriores em que os montantes repassados pelo Tesouro foram insuficientes para o pagamento dos programas. Porém na virada de 2013 para 2014, por exemplo, o banco federal apresentava um deficit de R$ 4,3 bilhões com o pagamento desses benefícios de amparo ao trabalhador.
A pedido da Folha, a Caixa enviou o número de meses em que houve deficits de 1999 a 2014, e o maior valor negativo em algum desses meses. Entre 1999 e 2002, no governo FHC, o maior deficit, em valores corrigidos, foi o de R$ 918 milhões em maio de 2000, com o seguro-desemprego. Na maior parte dos casos os deficits mensais não chegavam a R$ 100 milhões.
Nos dois mandatos do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, de 2003 a 2010, os deficits caíram. O rombo mais expressivo, de R$ 750 milhões, ocorreu em novembro de 2007, com o abono salarial.

União Histórica: DEM e PTB Estudam Fusão Em Uma Única Legenda

PORTAL DE NOTÍCIAS DE SENADOR SÁ
PORTAL DE NOTÍCIAS DE SENADOR SÁ
Os partidos PTB e DEM estudam agora se fundir em uma única legenda. Ambos derivam, respectivamente, do campo político do ex-presidente Getúlio Vargas e do panfletário jornalista Carlos Lacerda. O novo partido, que manteria o nome PTB e o número do DEM, 25, tenderia a se abrigar na oposição ao governo Dilma. O objetivo tem relação zero com precedentes históricos: busca-se apenas maior musculatura no Congresso e em futuras eleições.
Tanto numa como noutra legenda há resistências, o que pode barrar a histórica convergência. O governista Jovair Arantes (GO), líder da bancada do PTB na Câmara, e o oposicionista Ronaldo Caiado (GO), líder do DEM no Senado, fazem coro: “Essa fusão não tem pé nem cabeça”.
O PTB foi criado em 1945, no campo da esquerda, sob forte influência do então ditador, que via naquele ano ruir o seu Estado Novo. Nas duas décadas seguintes, a sigla reuniu as bases proletárias do varguismo. Acabou extinta no ano seguinte ao golpe de 1964, tendo a maior parte de seus quadros migrado para o MDB, o partido de oposição ao regime militar.
Embora tenha passado a trilhar caminhos que guardam pouca similaridade com o varguismo –como o apoio a Fernando Collor de Mello nos anos 90, sob a liderança do polêmico deputado Roberto Jefferson–, o PTB sempre reivindicou a herança de Getúlio Vargas.O fim do bipartidarismo, no fim dos anos 70, levou os varguistas, em larga escala, para o PDT de Leonel Brizola (1922-2004), afilhado político de Vargas. Ele tentou recriar o PTB, mas acabou perdendo na Justiça a sigla para uma sobrinha do ex-ditador, Ivete.
Já o DEM vem de uma linhagem de direita que remonta à UDN de Carlos Lacerda, sigla de oposição a Vargas. Na ditadura, a UDN desaguou, conforme o sistema de bipartidarismo implantado pelos militares, na Arena, a sigla de apoio ao regime.
Com o ocaso da ditadura, parte da Arena virou PDS, partido que patrocinou a fracassada candidatura presidencial de Paulo Maluf em 1985.
Políticos do PDS contrários a Maluf acabaram saindo e criando o PFL, que teve papel preponderante até a vitória de Lula, em 2002. Então, passou a minguar. Em 2007, mudou de nome. Virou o DEM.

Ex-Ministro De Lula e Dilma, Lupi Diz Que PT "Roubou Demais" e "Se Esgotou"

    PORTAL DE NOTÍCIAS DE SENADOR SÁ
Ex-­ministro dos governos Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff e um dos “faxinados” do mandato passado, o presidente nacional do PDT, Carlos Lupi, disse que os petistas “roubaram demais” e que o partido deles “se esgotou”. “O PT exauriu­se, esgotou­se. Olha o caso da Petrobrás. A gente não acha que o PT inventou a corrupção, mas roubaram demais. Exageraram. O projeto deles virou projeto de poder pelo poder”, disse Lupi um dia após a Petrobrás divulgar que a perda da estatal com a corrupção chegava a R$ 6,2 bilhões.
A declaração foi feita durante um encontro com correligionários na quinta­feira, em São Paulo. O Estado teve acesso à fala de Lupi, que foi confirmada pelo próprio dirigente pedetista.
Na conversa, o presidente do partido fez ressalvas a programas simbólicos dos governos petistas, como o Bolsa Família. “Tirou milhões da miséria, isso é bom para caramba. O Nordeste é outro (avanço), é verdade. Quem não vê isso é mentiroso, nojento. Eu tenho raiva deles. Mas (o governo) criou também uma dependência. Eu vejo gente que não quer trabalhar para manter o Bolsa Família, isso está errado. O programa tem que ser instrumento para tirar da miséria, não para manter na miséria.”
Aos correligionários, Lupi também reclamou do tratamento dado pelo PT ao PDT desde que as duas legendas formalizaram a aliança em 2006, quando o então presidente Luiz Inácio Lula da Silva disputava a reeleição. “A conversa com o PT, com o meu amigo Lula e com a presidente Dilma, é qual o naco de poder que fica com cada um. Para mim, isso não basta. Eu não quero um pedaço de chocolate para brincar como criança que adoça a boca. Eu quero ser sócio da fábrica, eu quero ajudar a fazer o chocolate.”
Em um momento de autocrítica, o presidente do PDT disse que o partido se “acomodou” por estar no poder, mas que, diante da insatisfação demonstrada pela população nas ruas, o partido precisa começar a buscar novos caminhos ou sofrerá as consequências no futuro.
“Se a gente não acordar para isso, daqui a pouco a população vai fazer como juiz de futebol: vai dar cartão vermelho para gente. Para muitos, já está dando”, disse Lupi. De acordo com aliados do dirigente pedetista, esse tem sido o tom usado por ele durante as reuniões com as Executivas estaduais do PDT desde o início do ano.
Segundo Lupi, o fato de nas últimas eleições candidatos como o palhaço Tiririca (PR­SP) e o ex­jogador Romário (PSB­RJ) terem sido eleitos para cargos no Legislativo demonstram o descontentamento das pessoas com a figura do político tradicional. “O povo está fazendo isso para sacanear a gente. Está dizendo: ‘Seus babacas, me respeitem, porque senão olha o que eu vou fazer com vocês. Em vez de votar em vocês, eu vou votar no Tiririca, vou votar no Romário’.” Planos.
Procurado pelo Estado, Lupi confirmou o teor do discurso feito na quinta­feira. Ele nega que o PDT pense em deixar a base aliada neste momento. Acomodado no Ministério do Trabalho – cujo atual titular é Manoel Dias –, o partido conta hoje com 19 dos 513 deputados da Câmara e 6 dos 81 senadores.
Ex­ministro do Trabalho, Lupi deixou o governo Dilma em dezembro de 2011, após uma série de denúncias de irregularidades envolvendo integrantes da pasta. Apesar de o partido continuar no comando do ministério até hoje, a relação entre PDT e PT está a cada dia mais estremecida. Parte dos senadores do partido defende a saída imediata da base do governo. Na Câmara, a bancada da sigla não tem mais seguido a orientação do Palácio do Planalto na hora das votações.
Até agora, Lupi era apontado como o que mais resistia à ideia de deixar a base aliada. Hoje, no momento em que o PT passa pela sua maior crise desde que assumiu o governo, em 2003, o dirigente trabalhista resume assim o seu sentimento: “A gente não quer ser um rato, que foge do porão do navio quando entra a primeira água, mas também não queremos ser o comandante do Titanic, que ficou no barco até ele afundar”.
estadao-conteudo

Luizianne Pode Trocar PT Por PSB Para Disputar Eleição Com Apoio Do PSDB e PMDB

Eunício Oliveira (PMDB) e Tasso(PSDB)  vem mantendo constantes conversas com a deputada federal Luizianne Lins (PT) acerca das eleições para prefeito de Fortaleza, em 2016. OS senadores até coloca o PMDB/PSDB à disposição da ex-prefeita caso o PT não conceda a legenda para Luizianne disputar novamente o cargo.
Há também a hipótese mais plausível de a deputada trocar o PT pelo PSB, que está sob o controle de Sérgio Novaes e formaria a aliança com o PMDB/PSDB.
Problema: como o mandato é do partido, o PT, caso assim o queira, pode criar obstáculos.

Ex-Prefeito De Martinópole Faz Aniversário


PORTAL DE NOTÍCIAS DE SENADOR SÁ
Faz aniversário nesta quinta-feira 16 de abril, o ex-prefeito de Martinópole Francisco Fontenele(PR), para o ex-prefeito, amigos, familiares, eleitores e seguidores é dia de comemoração.  Francisco Fontenele Viana(PR) nasceu em 16 de abril de 1941.

Vida Pública

Quando percebeu sua vocação para a política, resolveu ser candidato a prefeito de Martinópole no ano de 1988, sendo derrotado por sua concorrente Liduina de Melo, em 1992, candidatou-se novamente concorrendo com o saudoso Dario Feijó(PSDB), mas desta vez, foi vitorioso, em 1996, o candidato de Fontenele foi seu vice, Dr. José Nilson, que por sua vez vence a eleição, quando assumiu o cargo de prefeito tornou-se opositor de Fontenele, em 2000, José Nilson novamente se candidatou a prefeito se reelegendo para mais um mandato, não podendo ser candidato na eleição seguinte, indicou Joe Aguiar, a baixa popularidade do ex-prefeito José Nilson levou a derrota do seu candidato para Francisco Fontenele, que voltava novamente ao poder dando o troco àquele que lhe traíra, Francisco Fontenele Viana, governou Martinópole por mais dois mandatos, 2004/20012.

Em 2012 não podendo disputar a eleição para prefeito, pois já havia sido reeleito, Fontenele indica como seu candidato um de seus secretários, conhecido como Franzé(PSD) o qual não foi bem visto aos olhos do povo, além disso, a população estava dividida, não satisfeita com a gestão de Fontenele e os desmandos de sua equipe, o que prejudicou sua campanha. Franzé, candidato a prefeito, foi derrotado nas urnas pelo atual prefeito James Bel(PMDB) que disputava pela segunda vez a eleição para prefeito de sua cidade.
http://martinopoleacontece.blogspot.com.br/
PORTAL DE NOTÍCIAS DE SENADOR SÁ

PORTAL DE NOTÍCIAS DE SENADOR SÁ

PORTAL DE NOTÍCIAS DE SENADOR SÁ

Tucanos Do Maranhão Recebem Luís Fernando. Ex- Secretário De Estado Da Infraestrutura é o Mais Novo Filiado Do PSDB

PORTAL DE NOTÍCIAS DE SENADOR SÁ
A convite do prefeito de Imperatriz Sebastião Madeira,  e do vice-governador Carlos Brandão,  o ex-prefeito de  São José de Ribamar e ex-secretário de Estado da Infraestrutura Luíz Fernando se filia hoje, ás 9 horas da manhã,  no PSDB . 

Luís Fernando será recebido pelos tucanos maranhenses  num ato  solene no auditório do Rio Poty Hotel. Além das lideranças do partido o evento deve contar com a presença de líderes de outras agremiações partidárias como é o caso do governador Flávio Dino, do PC do B de quem  no Maranhão o PSDB é aliado.

“É com alegria, e com honras que o PSDB do Maranhão recebe o Luís Fernando um homem de uma qualidade técnica irrepreensível e um dos mais conceituados políticos do Maranhão.  Fica registrado nosso contentamento por ele, que tinha outros convites,   ter aceitado  somar sua expertise politica  com o PSDB do Maranhão”  comentou o  prefeito Madeira.
PORTAL DE NOTÍCIAS DE SENADOR SÁ

Ex-prefeito de uma das mais importantes cidades do Maranhão,  cujo mandato encerrou com uma  popularidade acima dos 90%, Luís Fernando ganhou notoriedade estadual quando assumiu, no governo passado, a Secretaria de Estado da Infraestrutura.

Municipalista convicto o então secretário levou as ações de sua pasta para quase todos os 
municípios maranhenses o que o levou a ser indicado pelo seu grupo pré-candidato a governador; contudo,  pela conjuntura politica  daquele momento acabou por desistir de entrar na disputa.

Depois de desistir da candidatura a governador, Luís Fernando optou pela neutralidade e agora volta ao cenário politico como o mais novo filiado do PSDB e forte nome para disputa novamente a Prefeitura de São José de Ribamar.

O prefeito Madeira disse que o PSDB do Maranhão passa hoje por um processo de fortalecimento  de seus diretórios  e instalação de comissões provisórias. Também, assinala ele, tem recebido a filiação de diversas lideranças politicas, empresariais, classistas, comunitárias e estudantis.  “ Há poucos dias em Imperatriz realizamos um ato no qual  recebemos 183 filiados.  Essa semana, o partido recebeu a filiação da ex-deputada estadual, com base em Santa Inês,  Vianey Bringel, e  neste sábados recebemos o Luís Fernando”  assinalou.

Imperatriz- A filiação de Luís Fernando no PSDB foi recebida com satisfação pelo Diretório Municipal do PSDB de Imperatriz, o maior do Maranhão com quase dois mil filiados.  O vereador Esmerahdson De Pinho,  disse que ter  nos quadros do PSDB um politico como o Luís Fernando,  é um orgulho muito grande.
PORTAL DE NOTÍCIAS DE SENADOR SÁ

 “ Um politico de estatura,  que já assumiu diversos cargos públicos e em todos se comportou com probidade. Por isso estarei lá no Rio Poty na primeira fila para  apertar sua mão e desejar-lhe boas vindas”    disse o vereador.

Já o   próximo presidente do Diretório do PSDB ( convenção dia 8 de maio)  José de Ribamar Soares, o Cabo J. Ribamar comentou que o PSDB do Maranhão age com inteligência e estratégia ao se abrir para receber líderes como o Luís Fernando, a ex-deputada Vianey entre outros. Política a gente, com  ideias,  e gente de qualidade. Também estaremos no ato do Rio Poty para receber esse mais novo ilustre filiado”  asseverou  Ribamar.

PORTAL DE NOTÍCIAS DE SENADOR SÁ
PORTAL DE NOTÍCIAS DE SENADOR SÁ


PORTAL DE NOTÍCIAS DE SENADOR SÁ
PORTAL DE NOTÍCIAS DE SENADOR SÁ

Resgate De Vítimas No Nepal Prossegue; Terremoto Deixou Mais De 2.000 Mortos

Neste domingo um tremor secundário de magnitude 6,7 atingiu o país com epicentro a nordeste da capital, Katmandu, e a uma profundidade de 10 quilômetros

As equipes de resgate tentavam neste domingo encontrar sobreviventes do terremoto de magnitude 7,8 que atingiu o Nepal e alguns países vizinhos e que deixou até agora mais de 2.000 mortos, uma tarefa complicada pelos fortes tremores secundários e pelo difícil acesso às zonas afetadas.

O porta-voz da polícia nacional, Kamal Singh Ban, disse que no Nepal 1.953 pessoas morreram, enquanto na Índia as autoridades estimam em 53 o total de mortos. A televisão estatal chinesa afirmou, por sua vez, que 17 pessoas faleceram na região do Tibete.

Neste domingo um tremor secundário de magnitude 6,7 atingiu o país com epicentro a nordeste da capital, Katmandu, e a uma profundidade de 10 quilômetros.

Esta réplica do terremoto de sábado também foi sentida no Everest, onde provocou novas avalanches.

"Mobilizamos todos os nossos recursos para a busca e o resgate" no país, disse à AFP o porta-voz da polícia nacional, Kamal Singh Bam. "Enviamos helicópteros às áreas remotas. Estamos buscando entre os escombros dos edifícios que desabaram para ver se conseguimos encontrar alguém".
O terremoto de sábado foi o pior a atingir o Nepal em 80 anos e o número de mortos pode ser ainda maior, já que as organizações humanitárias têm dificuldades para avaliar a magnitude da catástrofe e das necessidades, indicou no sábado à AFP um funcionário da ONG Médicos do Mundo.
No Everest, onde o terremoto provocou uma avalanche no sábado que deixou ao menos 17 mortos, seis helicópteros começavam a chegar ao campo base, situado a 5.000 metros de altura, para retirar os feridos.
O porta-voz do Departamento de turismo, Tulsi Gautam, informou que há 61 feridos.
"Não sabemos suas nacionalidades, mas a maioria deles seriam estrangeiros", informou à AFP Ang Tshering Sherpa, presidente da associação nepalesa de montanhismo, acrescentando que no momento do terremoto cerca de 800 pessoas estavam no campo.

Exército Não Poderá Mais Vetar Candidatos Baixos, Sem Dentes Ou Com AIDS e Outras Doenças

Exército: sem restrições para entrar
PORTAL DE NOTÍCIAS DE SENADOR SÁ
Uma decisão do Tribunal Regional Federal da 1ª Região acaba de eliminar as restrições criadas pelo Exército para ingresso na tropa. Desde 2005, os militares impediam candidatos com altura inferior a 1,60 metro (homens) ou 1,55 metro (mulheres). Também vetavam soldados com menos de vinte dentes naturais e portadores de doenças como aids ou sífilis. Se as novas regras não entrarem em vigor imediatamente, uma multa diária de 5 000 reais será aplicada ao Comando do Exército.
A decisão do TRF-1, relatada pelo desembargador Souza Prudente, foi tomada ao se analisar recursos do Ministério Público Federal e da União a uma decisão anterior, da Justiça Federal no Distrito Federal, que havia decidido contra a regra que discriminava candidatos por serem baixos. O MPF pedia que fossem atendidos os outros pedidos, enquanto a União defendia a manutenção da portaria na íntegra.
Diz Souza Prudente:
- Isso era discriminação sem nenhuma razão. Essas características não incapacitam ninguém ao trabalho.

25 de abr de 2015

Site Do Ceará News7 Na Internet Foi Invadido Por Hackers

PORTAL DE NOTÍCIAS DE SENADOR SÀ

PORTAL DE NOTÍCIAS DE SENADOR SÀ



O Ceará Newa7, um dos nossos parceiros do Portal de Notícias de Senador Sá, foi invadido por hackers, nesta semana de abril. O site que é hospedado no Blogger (Google) no endereço http://www.cearanews7.com.br/ foi invadido. O Google já foi informado. 


Indonésia Confirma Que Brasileiro Traficante Será Executado

Autoridades notificaram condenados sobre fuzilamento; pena poderá ser cumprida a partir de terça-feira

Rodrigo Gularte é escoltado por policiais perto do principal aeroporto de Jacarta, na Indonésia, em 2004PORTAL DE NOTÍCIAS DE SENADOR SÁ

PORTAL DE NOTÍCIAS DE SENADOR SÁ
A Indonésia notificou neste sábado nove condenados à morte por narcotráfico - incluindo oito estrangeiros, um deles o brasileiro Rodrigo Gularte - de que serão executados, indicou um porta-voz do Ministério Público. Gularte, 42 anos, foi condenado à morte em 2005 por ingressar na Indonésia com seis quilos de cocaína escondidos em pranchas de surf.

"Agora mesmo acabamos de notificar (a execução) a cada preso, nove pessoas, com exceção de Serge (Atlaoui, o francês)", disse à AFP Tony Spontana, ressaltando que os fuzilamentos não ocorrerão em menos de três dias. O nome de Atlaoui, que figurava na lista inicial, foi retirado na última hora.

No final de semana passado, a Indonésia fuzilou seis condenados por tráfico de drogas, entre eles o brasileiro Marco Archer Cardoso. Após o fuzilamento, a presidente Dilma Rousseff - que tentou em vão salvar a vida de Marco Archer - chamou para consultas o embaixador brasileiro em Jacarta para manifestar seu repúdio à execução.
Clemência
O governo da presidente Dilma Rousseff voltou a pedir clemência para Gularte, de 42 anos. A solicitação é feita às vésperas de uma reunião em que, provavelmente, será informada oficialmente a data do fuzilamento de Gularte e mais nove estrangeiros. A pena poderá ser cumprida a partir de terça-feira. 
A Indonésia convocou o representante da Embaixada do Brasil no país, juntamente com os diplomatas de todos os países que têm cidadãos no corredor da morte, para comparecerem a uma reunião hoje, 25, às 2 horas de Brasília, na prisão de Nusakambangan, em Cilacap, a 400 km de Jacarta, para serem informados sobre os próximos passos a serem adotados em relação aos condenados.
Embora o assunto não tenha sido adiantado, a praxe é que os governos sejam convocados para tomar conhecimento da execução 72 horas antes de ela ocorrer.
Em mais uma tentativa de evitar a morte de Rodrigo Gularte, o encarregado de representante da Indonésia no Brasil foi chamado ao Itamaraty, no fim da tarde de ontem, para ouvir um novo pedido de clemência.
O embaixador Carlos Alberto Simas Magalhães, subsecretário-geral da comunidade brasileira no exterior, disse ao ministro-conselheiro da Indonésia Rizki Safary, que embora o governo brasileiro não desconsidere a gravidade do crime cometido por Gularte e respeite a legislação local, apelava para que ele não fosse fuzilado, por “razões humanitárias”, já que foi diagnosticado com esquizofrenia.
As relações entre Brasil e Indonésia estão estremecidas desde a execução do brasileiro Marco Archer Moreira, em 18 de janeiro, condenado por tentar entrar na Indonésia com 13 quilos de cocaína. Em represália, a presidente Dilma se recusou a receber as credenciais do novo embaixador indonésio no Brasil, Toto Riyanto, em 20 de fevereiro. Por isso, hoje o principal representante indonésio no Brasil é um ministro-conselheiro e não o embaixador.

Cid Moreira e Sérgio Chapelin Emocionam Na Bancada No ‘JN’

PORTAL DE NOTÍCIAS DE SENADOR SÁ
Afastados do ‘Jornal Nacional’ desde 1996, Cid Moreira e Sérgio Chapelin voltaram com o “boa noite” mais famoso da TV (Reprodução)
Jornal Nacional encerrou na noite desta sexta (24) a série especial em comemoração aos 50 anos da TV Globo em grande estilo, com a dupla histórica Cid Moreira e Sérgio Chapelin de volta à bancada, 19 anos depois.
Durante a semana, o telejornal apresentou uma retrospectiva de forte apelo emocional, com a prata da casa comentando, sob mediaçãode William Bonner, os fatos mais marcantes na trajetória do jornalismo da emissora e, portanto, do país e do mundo. Entre guerras, desastres ambientais, gangorras políticas e conquistas esportivas, o programa não deixou pedra sobre pedra. Além de citar diversas vezes profissionais que hoje estão em outras emissoras, o que é bem civilizado, o show de edição teve espaço para bastante confete, com destaque para a cobertura da ocupação do Morro do Alemão em 2010, premiada com o Emmy Internacional, mas também para mea culpa, como quando citou o caso mais do que esmiuçado do debate entre Collor e Lula em 1989.
Além da demonstração da força da líder de audiência, a série foi uma bela homenagem ao ofício de jornalista. E como não poderia ser diferente diante de tantas emoções fortes, a retrospectiva se tornou rapidamente um dos assuntos mais comentados nas redes sociais – em especial quando Cid Moreira repetiu o seu histórico “boa noite”. “Boa noite, Cid Moreira!”, responderam os tuiteiros nostálgicos.

Marta Suplicy: "O PT Traiu Os Brasileiros"

A ex-ministra, ex-prefeita de São Paulo e senadora anuncia sua saída do partido que ajudou a construir e diz que a cúpula petista não tem mais outro projeto senão o de se manter no poderPORTAL DE NOTÍCIAS DE SENADOR SÁ

"Marta Suplicy: O PT se distanciou dos seus princípios éticos, das suas bases e de seus ideais"(Luiz Maximiano/VEJA)
Marta Suplicy foi deputada, prefeita de São Paulo, ministra do Turismo, da Cultura e atualmente cumpre mandato de senadora. Sempre pelo PT, partido em que milita desde o início da década de 80. Trinta e cinco anos, de muitas vitórias e algumas derrotas, um mensalão e um petrolão depois, que descreve como uma "avalanche de corrupção", ela decidiu deixar a legenda a que dedicou metade de sua vida. Marta tem convite de quase todos os partidos políticos do Brasil, mas se inclina mais para o PSB de Eduardo Campos, o candidato morto em um desastre de avião na campanha presidencial do ano passado. Enquanto desenhava estrelinhas em uma folha de papel, Marta falou a VEJA de seus motivos para romper com o PT e de seu "projeto de nação".
A senhora saiu do PT ou o PT a deixou antes? Tenho muito orgulho de ter ajudado a fundar o PT. Acreditei, me envolvi, trabalhei décadas, com dedicação total. Saio do PT porque, simplesmente, não é o partido que ajudei a criar. O PT se distanciou dos seus princípios éticos, das suas bases e de seus ideais. Dessa forma traiu milhões de eleitores e simpatizantes. Eu sou mais uma entre as pessoas que se decepcionaram com o PT e não enxergam a possibilidade de o partido retomar sua essência. Respondendo a sua pergunta, estou segura de que meus princípios nunca mudaram, são os mesmos da fundação do PT, os mesmos com os quais criei os meus três filhos. Agora tenho um desafio, o desafio do novo. Quero ter um projeto para o meu país. Um projeto em que acredite. É isso que eu vou buscar.
O que mais pesou na sua decisão? O componente ético é muito forte. A decepção foi tremenda. Não foi fácil ver os integrantes da cúpula do partido na prisão. Discordo da maneira pública pela qual eles foram julgados e sentenciados. O processo judicial pode ter sido perfeito, mas a humilhação pública que eles sofreram não se justifica. Por essa razão eu não me manifestei durante o julgamento do mensalão. Mas senti que havia um profundo distanciamento do que nós, petistas, queríamos para o Brasil. Reconheço o muito que já se fez em termos de diminuição da pobreza e do aumento da mobilidade social. Mas eu percebo também que a cúpula se fechou e, cercada por interesses corporativistas de certos movimentos sociais e sindicalistas, trabalha apenas para se manter no poder. O PT não tem mais projeto para o Brasil. Se não recuperar seus princípios éticos, da fundação, não voltar às suas bases, se ficar só no corporativismo, o PT vai virar uma pequena agremiação. Teria chance se fosse no caminho oposto, mantendo sua base social, mas incorporando uma classe média que ele mesmo ajudou a criar. Mas, se você perguntar se o PT fará o que é preciso para se salvar, minha é resposta é não.
Houve uma gota d'água? A escolha do Fernando Haddad para ser candidato à prefeitura de São Paulo, em 2012, foi muito difícil para mim. Mas respirei fundo e fiz campanha para ele. Sei que minha participação foi fundamental para a vitória do Haddad. Antes já tinha sido praticamente abandonada na minha eleição para o Senado. Ganhei com enorme dificuldade. O PT fez campanha muito mais forte para o candidato Netinho do que para mim. Então comecei a pensar no que estava fazendo no PT. Em 2014, meu nome nem foi cogitado para a corrida ao governo de São Paulo, embora eu tivesse 30% das intenções de voto. Aí vem essa avalanche de corrupção. Engoli muita coisa na política. Mas, quando vi que estava em um partido que não tem mais nada a ver comigo, que não luta pelas bandeiras pelas quais eu me bati e que ainda me tolhe as possibilidades - e eu sei que sou boa -, a decisão de sair ficou fácil.
A senhora não viu os sinais da "avalanche de corrupção" no PT? Não, porque eu nunca participei disso. Não tinha a mais leve ideia. Como a maioria dos petistas não tinha também. Se você não estava ali naquela meia dúzia, você não sabia.
Quando ficou evidente sua saída, a máquina de destruição de reputações do partido começou a agir com a acusação de que a senhora, uma aristocrata, nunca foi realmente do PT. Isso magoa?Essas pessoas nunca estiveram na minha pele. Dei ao PT uma cara de classe média palatável. Isso abriu outro horizonte, com a adesão de uma classe média que não se identificava com o sindicalismo. Se não posso dizer que a inventei, tenho certeza de que contribuí muito para a modernidade do PT. Esse tipo de crítica não me afeta.
A senhora teve um papel de destaque no "Volta, Lula", movimento para afastar Dilma e lançar como candidato o ex-presidente. Por quê? Eu tinha certeza de que, se a Dilma vencesse, teria um segundo mandato muito difícil, como está sendo efetivamente. Achava que com o Lula teríamos condição de rever com clareza os erros cometidos e, assim, reunir força política para tirar o Brasil daquela situação. A maioria dos deputados e dos senadores preferia a candidatura do Lula pelas mesmas razões que as minhas. Eles só foram mais cuidadosos.

24 de abr de 2015

SUSPEITO DE TERRORISMO FOI FUNCIONÁRIO DA CASA CIVIL NO GOVERNO LULA

MUÇULMANO INVESTIGADO POR TERRORISMO TRABALHOU COM DILMA
PORTAL DE NOTÍCIAS DE SENADOR SÁ
PORTAL DE NOTÍCIAS DE SENADOR SÁ
MARCELO BULHÕES DOS SANTOS (EMBAIXO, À ESQUERDA) E A ENTÃO MINISTRA DILMA ROUSSEFF.
O homem detido nesta sexta-feira (24) pela Polícia Federal, em Brasília, durante operação que contou com o apoio do Grupo Antibomba da PF, é Marcelo Bulhões dos Santos, advogado, muçulmano e atualmente assessor da Embaixada do Sultanato de Omã no Brasil.
Marcelo Bulhões dos Santos trabalhou na Casa Civil da Presidência da República entre 2007 e 2010, enquanto a presidente Dilma Rousseff era ministra do governo Lula. Bulhões foi supervisor de Legislação de Pessoal na Presidência, cargo que assumiu após quase seis anos como agente administrativo no Departamento da Polícia Federal.
Segundo o próprio Bulhões, sua função na Casa Civil de Dilma era “redigir planos de trabalho com foco estratégico, assessorar as Altas Autoridades do órgão... redigir memorandos, notas técnicas e ofícios, assim como uma ampla variedade de expedientes”. Procurada, a Casa Civil da Presidência da República ainda não se pronunciou sobre o caso.
A Polícia Federal não deu detalhes, em razão “da natureza operação”, e o advogado foi intimado a prestar esclarecimentos, mas foi executado um mandato de busca e apreensão que que resultou na apreensão de pelo menos três computadores e dezenas de documentos, mídias, pen-drives e envelopes.